Acesso à informação #CopaDasCopas

Diretoria

O diretor de Bio-Manguinhos é eleito por voto direto dos servidores e exerce o cargo por quatro anos, com possibilidade de reeleição. Há quatro vice-diretores, nomeados pelo diretor, que representam áreas estratégicas para a unidade.

 

artur-roberto-couto-diretor-bio-manguinhos Artur Roberto Couto
Diretor de Bio-Manguinhos

Mestre em Economia Empresarial pela Universidade Candido Mendes e graduado em Administração. Concluiu também MBA executivo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), pós-graduação em administração pública na Fundação Getúlio Vargas e especialização em planejamento, programação e controle de produção (FGV). Trabalha há mais de 30 anos em Bio-Manguinhos e assumiu a Diretoria da unidade em 2009. Em 2013, foi reeleito para o segundo mandato (2013-2016).

Sua trajetória profissional na Fiocruz começou na década de 1970. Artur Couto participou da implantação da estrutura administrativa do Instituto e, entre 1981 e 1989, com as demandas do Ministério da Saúde e a necessidade de maior organização dos processos de gestão, conduziu as etapas de descentralização da administração. Isso fez com que Bio-Manguinhos se tornasse a primeira unidade da Fundação a criar sua própria estrutura administrativa.

Atuou na implantação de 12 projetos de transferência de tecnologia e desenvolvimento conjunto de 1982, com a vacina sarampo (Instituto Biken), até 2008, com o Interferon peguilado (Cuba) e os testes rápidos DPP HIV, Leptospirose, Leishmaniose (Chembio). Participou da introdução da linha de biofármacos no Instituto (alfaepoetina e alfainterferona 2b), fomentou a criação da Assessoria de Planejamento e do MBA de Bio-Manguinhos – MBBio, com apoio da Coppe/UFRJ, e coordenou o Estudo de Otimização da Capacidade de Produção da unidade. Após ficar à frente da Gerência de Projetos, de 2002 a 2005, assumiu a Vice-diretoria de Gestão, último cargo exercido antes de se tornar diretor.

 

arrow-2arrow-2 voltar à pagina inicial